TV JCN: 12ª CAMINHADA DOS PEREGRINOS DE NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS 2016

1 de junho de 2010

EDUCAÇÃO DE CORPO E ALMA COM RÚBIA RAQUEL

Queridos leitores, este mês quero falar sobre algo que me chama a atenção diariamente, a prática pedagógica do professor.

Sabemos que muitos fatores interferem na vida profissional do educador e também em seu dia-a-dia escolar, mas nada justifica uma atitude centrada em princípios adquiridos há muitos anos atrás.

O mundo mudou, as concepções numa visão geral também mudaram, nossos alunos pensam de outra maneira, entendem aquilo que lhe interessa e simplesmente deleta as informações que não acham necessárias.

Antigamente, mais ou menos no tempo da minha avó, os apontamentos e as leituras imensas para decorar o conteúdo escrito era ponto forte no ensino brasileiro. Os alunos aprendiam? Não sei, mas sei que decoravam todo o conteúdo, mesmo que depois fosse esquecido.

O ensino de hoje é totalmente diferente, para que algum conteúdo ganhe espaço na mente do aluno é preciso contextualizar, relacionar o conteúdo com a vida dos alunos, caso contrário, nenhum conhecimento será somado a vida dele.

Chegou a hora de muitos professores reverem sua prática e melhorar seus métodos avaliativos, buscando ao menos que seus alunos consigam compreender o “por quê” estão estudando aquilo, caso contrário, teremos mais uma vez na educação o triste fim: “professor finge que ensina e aluno finge que aprende”. Talvez seja essa troca de fingimento quem esteja contribuindo para o fracasso da educação brasileira.

4 comentários:

Anônimo disse...

concordo com Rúbia de Zé de Totota tem professor que ganha com a cara.Rúba você é muito competente.Parabensns

Anônimo disse...

Infelizmente é a realidade do nosso Brasil. O que mais mim doi é que aqui em carnauba toda qualidade de gente pode ser professor. Isso é errado. Tenho pena de muitos alunos daqui com as qualidades que aparecem e não estou falando apenas de contratos não, tem muito efetivo que ODEIA o que faz, por isso faz mal feito. Conheço Rubia e seu trabalho e a parabenizo, ela ama o que faz. Não está nessa profissão apenas para querer brilhar. Carnaúba está crescendo, o prefeito está no rumo certo, mas para esta cidadse crescer ainda mais, ele precisa olhar mais para as escolas. Analisar como está a secretaria de educação, se estar realmente fazendo o seu papel. Bem o primeiro passo já foi dado, o plano de cargos e salarios veio melhorar esta realidade. Esperamos ainda mais.

Mara Lucena disse...

Até onde professora Rúbia podemos contextualizar algo que o aluno não quer? Já passei por tantas e tantas experiencias e hj vejo que a nossa educação só pensa em projetos, planos, PDE, melhoria em tudo que se tem na escola, inclusive a bendita tecnologia, que nem os professores sabem usá-las, investiu-se e muito na qualificação dos professores mas muitos continuam uma tábua rasa! E aí? Será se a culpa é de nós enquantos professores? da familia?Ou de um sistema que vive de imitar os outros países ou estados e nunca chegam a um denominador comum? Sei que vc e muitos outros são competente mas tbm sei q a cada ano todos nós nos deparamos com situações de ensino -aprendizagem bem diferente do que antes pregávamos! Ou vc nunca pegou turma de alunos desinteressados e que não admitem a minima mudança comportamental?Talvez alguns professores sucesso qdo USA A FORÇA BRUTA AINDA QUE VERBALMENTE, NÃO É? Nesse caso recaimos no tradicionalista, no professor policial. Mas aquela aprendizagem prazerosa, questionadora onde está? Quando criticamos o modo tradicionalista da decoreba as vezes nos encucamos, de onde vieram tantos saberes nessa pratica que mudaram a história da humanidade? Ser pensante sempre existiu e há de exitir, mas vc, enquanto educadora de corpo e alma (sic)usa quais artifícios reais pra mostrar de fato mudanças comportamentais e de aprendizagem em sala de aula?
Pois o interessante nessas horas é o intercâmbio de opiniões.
Mas descupe-me na verdade o que está havendo em todos os contextos educacionais é sim a inversão de valores. Isso sim é o q transforma a nossa vida em um caos!

Rúbia Raquel disse...

Minha amiga Mara Lucena, enquanto educadora não posso lhe apontar soluções práticas. Quanto a pegar uma turma totalmente desinteressada, peguei sim, mas em minha dedicação consegui reverter o quadro pelo menos em 50%. Sei e sou consciente que não conseguir fazer tudo, nem ao menos ver em todos os meus alunos meu sonho realizado, no entanto, faço minha parte e tenho certeza que posso não marcar a vida de todos e transformá-los em cidadãos sonhadores, mas pelo menos alguns deles serão atingidos e no futuro, bem no futuro eu terei a recompensa. O desgaste da educação nos maltrata e se vc está sofrendo por isso, é sinal que também faz sua parte e se angustia por não conseguir 100%. Seja forte e continue lutando, pois um dia poderemos nos encontrar e falar sobre coisas boas na educação.